Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
CINEDEBATE

Cinedebates abordaram o filme “O Jovem Karl Marx”

Publicado: Segunda, 14 de Maio de 2018, 16h35 | Última atualização em Segunda, 14 de Maio de 2018, 18h06

No dia 10 de maio de 2018, quinta-feira, pela manhã, a partir das 09h45, e no dia 11 de maio de 2018, sexta-feira, de noite, a partir das 19h00, no auditório do Câmpus de Caraguatatuba do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), ocorreram duas exibições – seguidas em cada caso por um debate – do filme “O Jovem Karl Marx”. A organização destes cinedebates contou com o apoio de bolsistas programa de extensão “Cinedebate e atividades de educação científica e cultural” (Kauã Estevam Cardoso de Freitas, Rafael Honório Morais de Oliveira, Henrique Madeo Pereira, Diego Bortoleto Licca, Larissa Comodaro Nunes Sant’Ana, Caio Cesar Nogueira, Nicolas Gama Coelho Rodrigues e Ryan Nepomuceno Montemor) e de iniciação científica João Pereira Neto (com bolsa PIBIC), Rafael Brock Domingos (com bolsa FAPESP) e Rafael do Nascimento Sorensen (com bolsa FAPESP), todos eles orientados pelo professor Ricardo Roberto Plaza Teixeira, docente do IFSP-Caraguatatuba. Estas atividades foram organizadas com o apoio da professora Regina Aparecida Berardi Osório (docente na área de educação do IFSP-Caraguatatuba).

Público presente no cinedebate que ocorreu em 10/05/2018

A exibição do filme “O Jovem Karl Marx” em 10/05/2018 teve também a participação da professora Valéria Trigueiro Santos Adinolfi (docente de Filosofia do IFSP-Caraguatatuba) e do senhor João Rocha (ex-dirigente sindical), bem como de alunos de diferentes cursos do IFSP-Caraguatatuba (tais como Licenciatura em Matemática, Licenciatura em Física e Ensino Médio Integrado com o Técnico) e membros da comunidade externa ao IFSP.

Professores Regina, Ricardo Plaza e Valéria

O filme franco-alemão “O Jovem Karl Marx” (o título original em francês é “Le Jeune Karl Marx” e o título original em alemão é “Der Junge Karl Marx”) foi lançado em 2017 e dirigido pelo cineasta haitiano Raoul Peck – que foi também o diretor de “Eu não sou seu negro”, obra que concorreu ao Oscar de melhor documentário em 2017.

Professor Ricardo Plaza com bolsistas que organizaram o cinedebate em 10/05/2018

Este filme basicamente aborda a juventude do pensador Karl Marx (interpretado por August Diehl que trabalhou também em “Bastardos Inglórios”) e o estabelecimento de sua amizade com Friedrich Engels até a elaboração do Manifesto Comunista em 1848. A pujante cena final do filme em que se está escrevendo o livro “Manifesto Comunista” pode ser assistida aqui. Ela se inicia com um dos seus trechos mais conhecidos: “A história de todas as sociedades até agora existentes é a história das lutas de classe”.

Pensamento de Marx sobre a importância da luta de classes na história da humanidade

Mais informações acerca deste filme podem ser obtidas (em inglês) no link do IMDB e (em português) aqui. O trailer desta película pode ser assistido aqui. Para quem quiser se aprofundar, boas resenhas acerca desta obra cinematográfica podem ser lidas nos links CARTACAPITAL, BLOGDABOITEMPO, ESQUERDAONLINE e SOCIALISTAMORENA.

Debate após a exibição do filme em 11/05/2018

Alguns dias antes destes cinedebates ocorrerem, em 05 de maio, completaram-se 200 anos do nascimento de Karl Marx (18/05/1818-14/03/1883): assim sendo, os debates foram úteis para os presentes conhecerem melhor as ideias deste importante filósofo e economista. No cinedebate de 11/05/2018 estiveram presentes vários professores de escolas da região do litoral norte paulista (inclusive acompanhando diversos de seus estudantes), dentre os quais, os professores Cláudio Rezende Francisco, Gilmar de Paiva dos Santos Pozo e Hannah Carolina Silva Ferreira.

Professora Regina debate o filme com os presentes em 11/05/2018

O filme “O Jovem Karl Marx” retrata momentos importantes da juventude de Marx (durante a década de 1840), de seu casamento com Jenny von Westphalen e da constante perseguição que fez com que constantemente ele tivesse que mudar de um país europeu para outro: da Prússia (atual Alemanha) para Paris (França), depois para Bruxelas (Bélgica) e finalmente para Londres (Inglaterra); no debate foi ressaltado o fato de que ao longo da história, muitas lideranças de movimentos relacionados às lutas dos trabalhadores foram sistematicamente perseguidos devido às suas ideias e ao representavam para as causas que defendiam. A importância de ler Marx na atualidade é defendida pelo professor Clóvis de Barros (docente da ECA-USP) no vídeo da Casa do Saber que pode ser visto aqui.

Jenny, Marx e Engels

Esta obra cinematográfica retrata os momentos em que algumas das ideias básicas de Marx foram criadas, como no momento em que ele elabora sua conhecida frase: “Os filósofos limitaram-se a interpretar o mundo de diversas maneiras; o que importa é modificá-lo”. Ele retrata também a forma como Marx conheceu importantes lideranças anarquistas durante a sua juventude, como o francês Proudhon e o russo Bakunin, e dá um destaque especial para o papel importante das esposas de Marx e Engels (respectivamente Jenny von Westphalen e Mary Burns) nos trabalhos realizados por estes pensadores.

A película procura evidenciar a atualidade das ideias de Marx ao seu final quando apresenta cenas de vários momentos de diferentes lutas sociais desde a sua morte, com, ao fundo, a música “Like a Rolling Stone” do cantor Bob Dylan que recebeu o prêmio Nobel de Literatura de 2016. Esta música pode ser assistida e melhor conhecida aqui (com a letra em inglês na tela e cantada pelo próprio Bob Dylan) e aqui (com uma tradução livre da letra para o português na tela e cantada pela banda punk “Green Day”). Uma bela adaptação de “Like a Rolling Stone” para o português (“Como uma pedra a rolar”) feita pelo cantor Zé Ramalho pode ser assistida aqui. “Like a Rolling Stone” foi classificada pela revista “Rolling Stone” (especializada em rock e música pop) como a melhor música de todos os tempos (no topo de sua famosa lista "500 melhores canções de todos os tempos" de 2004 que foi elaborada por 172 músicos e críticos), como é possível ler nos links: WHIPLASH, WIKIPEDIA, e REVISTABULA.

Professor Ricardo Plaza e alguns dos bolsistas que organizaram o cinedebate de 11/05/2018

O filme “O Jovem Karl Marx” se encontra disponível em sites de armazenamento de vídeos como o Vimeo para ser assistido gratuitamente. Por sua vez, vários dos principais livros escritos por Marx (tais como “O Capital”, “A Ideologia Alemã”, “A Sagrada Família”, “Grundrisse”, “O 18 de Brumário de Luis Bonaparte”, “Uma contribuição para a crítica da economia política”, “Crítica da Filosofia do Direito de Hegel”, “Salário, Preço e Lucro”, “Crítica do Programa de Gotha”, “Sobre a Questão Judaica” e “Manifesto Comunista”) podem ser baixados e lidos gratuitamente (em pdf) no site “Lelivros”. Vários destes livros estão também disponíveis gratuitamente para serem baixados e lidos na Biblioteca Digital “Domínio Público”.

Famosa frase de Karl Marx sobre o papel dos filósofos

As sessões de cinedebates são regularmente organizadas por bolsistas e ex-bolsistas de iniciação científica e de extensão no âmbito do programa de extensão “Cinedebate e atividades de educação científica e cultural” do IFSP-Caraguatatuba que é coordenado pelo professor Ricardo Plaza. Seu objetivo principal é realizar reflexões críticas sobre história, ciência e cultura, envolvendo filmes e documentários selecionados com este propósito, bem como ampliar o repertório cultural e cinematográfico por parte dos alunos e do público em geral. Todas as sessões de cinedebates são gratuitas e abertas para quaisquer interessados, tanto da comunidade interna, quanto da comunidade externa ao IFSP. Não é necessário fazer inscrição prévia: basta estar presente no auditório no início da exibição do filme. Professores e gestores de escolas públicas que pretendem que alunos de suas escolas participem de atividades deste gênero podem procurar o professor Ricardo Plaza para juntos organizarem os detalhes.

Fonte: Prof. Dr. Ricardo Roberto Plaza Teixeira

registrado em:
Fim do conteúdo da página