Ir direto para menu de acessibilidade.

Em destaque

Início do conteúdo da página
Cinedebate

Cinedebate discutiu filme de ficção científica “O Homem da Terra”

Criado: Segunda, 04 de Dezembro de 2017, 21h18 | Última atualização em Segunda, 04 de Dezembro de 2017, 21h23

No dia 30 de novembro de 2017, quinta-feira, a partir das 17h00, ocorreu uma sessão de cinedebate no auditório do Câmpus de Caraguatatuba do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), com a exibição – seguida pela posterior discussão – do filme de ficção científica “O Homem da Terra”. A organização deste evento contou com o apoio dos bolsistas do programa de extensão “Cinedebate e atividades de educação científica e cultural” (Kauã Estevam Cardoso de Freitas, Rodrigo Henrique Revelete Godoy, Rafael Honório Morais de Oliveira, Rafael do Nascimento Sorensen, Diego Corrêa Peres de Souza, Julia Cristina Barbosa Lucoveis, Juliana Caroline da Silva Sousa e Ruy Guilherme Farias Santos Bastos), bem como de bolsistas de iniciação científica (João Pereira Neto, Adriana de Andrade, Rafael Brock Domingos e Izabela Duarte), todos eles orientados pelo professor Ricardo Roberto Plaza Teixeira.

Professor Ricardo Plaza e seus 12 bolsistas de extensão e de iniciação científica na tarde de 30/11/2017

O filme “O Homem da Terra” (o título em inglês é: “The Man from Earth”) foi lançado em 2007 e dirigido por Richard Schenkman. O roteiro original foi concebido inicialmente por Jerome Bixby nos anos 1960, mas só foi concluído em 1998, no seu leito de morte: os últimos trechos foram ditados para seu filho Emerson Bixby.

O seu trailer legendado em português pode ser visto em: <https://www.youtube.com/watch?v=_KQV29poILU>. Mais informações acerca deste filme podem ser obtidas nos seguintes links: <http://www.imdb.com/title/tt0756683/?ref_=fn_al_tt_1>, <https://www.rottentomatoes.com/m/the_man_from_earth/>, <http://www.adorocinema.com/filmes/filme-133466/> e <https://filmow.com/o-homem-da-terra-t7607/ficha-tecnica/>.

Professor Ricardo Plaza com bolsistas que organizaram o cinedebate sobre “O Homem da Terra”

A história do filme gira em torno de um homem que é um professor universitário que alega ter 14 mil anos de idade e organiza uma reunião de despedida com seus colegas professores, pois decidiu mudar de cidade e emprego. Mais do que isto não pode ser dito, para não estragar a história (ou seja, para não dar “spoiler”). Não se trata de um filme de ação, pois a história basicamente gira em torno de um professor contando uma história para seus amigos em uma cabana: é uma produção independente centrada em diálogos, que se de destaca pela originalidade do seu roteiro e que custou apenas cerca de 200 mil dólares, ou seja, foi de baixíssimo custo.

O enredo do filme permite refletir sobre como é difícil para as pessoas aceitarem pensamentos e ideias que se chocam e refutam grande parte da visão de mundo que elas têm; um tema que constitui o eixo desta película é o medo do novo, do diferente, do inesperado, algo que pode ser denominado como neofobia. O seu protagonista principal John Oldman (interpretado pelo ator David Lee Smith), na reunião de despedida que realiza com seus colegas também professores universitários (um biólogo, um arqueólogo, um historiador, uma especialista em textos bíblicos, um antropólogo e um psiquiatra), que são da sua maior confiança, propõe logo de início uma questão intrigante: “E se um homem do paleolítico tivesse vivido até os dias de hoje?” A partir de então tem início um verdadeiro e inteligente debate histórico, científico, filosófico e religioso muito provocador e que prende a atenção dos espectadores, pela inteligência e sagacidade.

Professores Luis Fernando, Ricardo e Mauro

Um tema que foi discutido após a exibição do filme é sobre a questão da imortalidade e como ela não fica tão atraente assim, a partir da narração que o protagonista faz sobre os problemas da vida que teve que viver. Foi lembrado que, do ponto de vista biológico, o envelhecimento é como uma espécie de contrapartida que apareceu no processo evolutivo devido ao surgimento da reprodução sexuada entre os seres vivos mais complexos: somos programados para envelhecer e morrer para dar espaço e recursos para as novas gerações que concebemos!

Cena do filme “O Homem da Terra”

Uma das músicas mais belas da sua trilha sonora é o 2º Movimento da 7ª Sinfonia de Beethoven que pode ser escutada em: <https://www.youtube.com/watch?v=mgHxmAsINDk>. Por outro lado, a música “Eu nasci há 10 mil anos atrás” de Raul Seixas foi lembrada no debate como uma referência que dialoga bem com o eixo narrativo da história do filme; ela pode ser escutada em: <https://www.youtube.com/watch?v=Y80GfK_mFDw>. Finalmente é importante lembrar que o filme completo “O Homem da Terra” em versão legendada está disponível para ser assistido gratuitamente no site youtube (<https://www.youtube.com/watch?v=jSKj1kr16ps>), graças ao próprio produtor que decidiu permitir que qualquer interessado pudesse copiar (fazer download) livremente esta película na internet. Uma boa resenha deste filme pode ser lida em: <http://cinegnose.blogspot.com.br/2012/01/filme-man-from-earth-desconstroi.html>.

Público debate o filme “O Homem da Terra”

Este foi o último cinedebate programado para este ano de 2017 no IFSP-Caraguatatuba, mas com certeza muitos outros cinedebates serão realizados em 2018. As sessões de cinedebates são regularmente organizadas por bolsistas de iniciação científica e de extensão orientados pelo professor Ricardo Plaza, no âmbito do programa de extensão “Cinedebate e atividades de educação científica e cultural”. Seu objetivo principal é realizar reflexões críticas sobre história, ciência e cultura, envolvendo filmes e documentários selecionados com este propósito, bem como ampliar o repertório cultural e cinematográfico por parte dos alunos e do público em geral. Todas as sessões de cinedebates são gratuitas e abertas para quaisquer interessados, tanto da comunidade interna, quanto da comunidade externa ao IFSP; não é necessário fazer inscrição prévia: basta estar presente no auditório no início da exibição do filme. Professores e gestores de escolas públicas que pretendem que alunos de suas escolas participem de atividades deste gênero podem procurar o professor Ricardo Plaza, para juntos organizarem os detalhes.

 Fonte: Prof. Dr. Ricardo Roberto Plaza Teixeira

registrado em:
Fim do conteúdo da página