Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Educação Científica

Aluno da Física obtém bolsa de pesquisa da FAPESP sobre experimentação

Publicado: Quinta, 05 de Julho de 2018, 11h37 | Última atualização em Quinta, 12 de Julho de 2018, 09h35

O projeto de iniciação científica, intitulado “Experimentos científicos como ferramentas de aprendizagem no ensino de Física”, elaborado pelo Prof. Dr. Ricardo Roberto Plaza Teixeira em conjunto com o estudante Kaua Estevam Cardoso de Freitas do curso de Licenciatura em Física, foi aprovado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), no início de julho de 2018. Como consequência Kaua Estevam – aluno do câmpus de Caraguatatuba do Instituto Federal de São Paulo (IFSP) – obterá uma bolsa mensal de iniciação científica que custeará suas atividades de investigação durante o período de 12 meses. A FAPESP é uma instituição reconhecida no meio acadêmico pelo seu rigor na análise e seleção de projetos de pesquisa que recebe. O projeto aprovado irá avaliar o uso e o impacto de experimentos científicos de diferentes tipos no ensino de física. O seu objetivo é encontrar maneiras de auxiliar os alunos na compreensão de conceitos de física básica a partir de atividades empíricas.

Kaua Estevam e professor Ricardo Plaza na entrada do IFSP-Caraguatatuba

Em 2017, ano em que entrou no curso de Licenciatura em Física, e no primeiro semestre de 2018, Kaua Estevam trabalhou com o professor Ricardo Plaza – que atualmente é o coordenador do curso de Licenciatura em Física – como bolsista do programa de extensão “Cinedebate e atividades de educação científica e cultural”, com bolsa de extensão custeada pelo próprio IFSP. Ele participou ativamente de diversas atividades de extensão de popularização da ciência realizadas em escolas públicas da região do litoral norte de São Paulo, divulgando apresentações audiovisuais sobre diferentes temas científicos – tais como efeito Magnus, efeito Coanda, bobina de Tesla, globo de plasma, exoplanetas, lançamento oblíquo, etc – que usaram cenas de vídeos, filmes e documentários, bem como experimentos para demonstração de fenômenos naturais e tecnológicos, de modo a refletir sobre conceitos e leis da física. Ele também ajudou a organizar a grande maioria dos cinedebates que ocorreram no auditório do IFSP-Caraguatatuba em 2017 e no primeiro semestre de 2018.

Kaua Estevam no laboratório de ciências naturais do IFSP-Caraguatatuba

Kaua Estevam participou ativamente da organização do III Minicurso Livre de Astronomia (em maio de 2017), do Minicurso de Inverno de Introdução à Astrofísica (em julho de 2017) e do IV Minicurso Livre de Astronomia (em maio de 2018) do IFSP-Caraguatatuba. Adicionalmente, ele apresentou um trabalho sobre comportamento atômico, de sua autoria, no evento “Noite com as estrelas” que ocorreu na Escola Estadual Alcides de Castro Galvão de Caraguatatuba em setembro de 2017. Os resultados parciais da investigação que conduziu foram apresentados no SICLN – Seminário de Iniciação Científica do Litoral Norte, em outubro de 2017, no IFSP-Caraguatatuba, bem como no CONEMAC – Congresso de Extensão e Mostra de Arte e Cultura do IFSP, que ocorreu no IFSP-Cubatão, em novembro de 2017, quando apresentou resultados mais robustos das pesquisas que realizou a partir das atividades de extensão e ensino conduzidas acerca das inter-relações entre ciência, experimentação e educação.

Experimento apresentado por Kaua em uma escola estadual de Caraguatatuba

Kaua Estevam é o terceiro licenciando do IFSP-Caraguatatuba a conseguir uma bolsa de iniciação científica da FAPESP, todos eles orientados pelo professor Ricardo Plaza. Em 2017, o aluno Rafael Brock Domingos – que atualmente estuda no curso de licenciatura em física – conseguiu uma bolsa de iniciação científica da FAPESP em projeto de pesquisa intitulado “Simulações e modelagens de fenômenos da natureza no ensino de física”. Já no primeiro semestre de 2018, o licenciado em física Rafael do Nascimento Sorensen conseguiu uma bolsa de iniciação científica da FAPESP em projeto de pesquisa intitulado “Ficção Científica e Ensino de Física”.

A tarefa de estimular o interesse dos jovens pelo conhecimento científico é muito importante, pois contribui para o desenvolvimento tecnológico que é fundamental para o progresso econômico e social. Além disso, ações como estas colaboram para a consequente melhoria dos padrões educacionais das escolas brasileiras de educação básica – em todos os campos, mas, em particular, nas áreas das chamadas ciências naturais. Assim sendo, a participação de estudantes universitários em trabalhos de pesquisa de iniciação científica, como este trabalho que foi aprovado pela FAPESP, colabora muito tanto com o amadurecimento intelectual e acadêmico do bolsista, quanto também para o desenvolvimento científico, tecnológico, econômico e social do país.

Fonte: Prof. Dr. Ricardo Roberto Plaza Teixeira

registrado em:
Fim do conteúdo da página